A Jornada da Fenda palatina de David nas Palavras da Sua Mãe

Smile Train

Somos originalmente de Guaranda, uma pequena cidade a cerca de cinco horas de Quito. É um lugar agradável, amigável, e como a maioria dos povos indígenas, vivemos nas montanhas, a cerca de uma hora de carro da parte central da cidade. Antes dos meus gêmeos nascerem, meu marido e eu vivíamos com a nossa filha e a minha mãe num pequeno lote que cultivávamos.

David's mother, Magaly

Tudo mudou quando eu tive os gêmeos. Só soube que David tinha uma fenda palatina e seu irmão paralisia cerebral quando os vi pela primeira vez. A notícia foi especialmente dura para o meu marido - ele chorou durante dois meses após o nascimento. Foi difícil para mim também, mas eu sabia que tinha me cuidado durante a gravidez e nunca me senti culpada. Estas coisas acontecem, e a gente faz o melhor que pode. Para nós, isso significava que eu tinha de me mudar para Quito com os meus filhos para que eles pudessem receber o tratamento regular de que precisavam. Tem sido muito difícil. Não consigo encontrar trabalho aqui, e todos sentimos muita falta do resto da família e da nossa comunidade em Guaranda; ligamos uns para os outros todos os dias, mas as coisas não ficam mais fáceis. Ter de estar longe da minha menina, que agora tem oito anos, me faz sofrer a cada minuto de cada dia.

Magaly smiling and holding David today

Mas faço tudo o que posso para tomar conta dos meus meninos. Quando nos mudamos para Quito pela primeira vez, David foi mandado a um hospital público e alimentado por tubos. Essa época foi quase insuportável - ele esteve lá durante um mês inteiro, mas nunca ninguém me informou sobre qualquer tratamento ou diagnóstico real para ele. A pior parte, que me rasgou como uma faca no coração, foi quando não me deixaram amamentá-lo durante todo o tempo em que estivemos lá. Tudo o que eu podia fazer era ver as máquinas dando ao meu filho o alimento que eu mesma desejava dar. Me senti impotente e passei muito tempo buscando outro lugar para levá-lo.

Pensei que tínhamos encontrado a resposta quando alguém no hospital me falou de uma organização americana que ia periodicamente a Quito para realizar cirurgias de fenda palatina de graça. Fiquei empolgada com as notícias e pensei que tínhamos finalmente encontrado uma esperança, mesmo que isso significasse passar mais meses no hospital vendo o David ser alimentado por tubos enquanto esperávamos que essa organização voltasse à cidade. Felizmente não precisamos esperar muito, pois pouco tempo depois de saber dessa outra organização, um amigo do meu marido me encontrou e falou do Smile Train.

David smiling

No começo, eu mal podia acreditar - como era possível que David pudesse receber tratamento de médicos no fim da rua, no Hospital de Día Niños de la Mano de María de graça? Ao mesmo tempo que eu estava feliz por saber que a fenda palatina de David podia ser tratada, nunca ninguém na nossa família tinha feito uma cirurgia antes, por isso eu estava muito assustada e preocupada com ele.

Felizmente, descobri rapidamente que não havia nada com o que me preocupar. David saiu da sala de operações com um lindo sorriso e os médicos do hospital são os melhores que já conheci. E quando a primeira cirurgia de David terminou, eles já estavam prontos para marcar a próxima e a terapia da fala para ele - tudo sem custos para a nossa família!

David and Magaly holding a picture of David before his cleft surgery

Vi que os médicos e terapeutas da fala parceiros da Smile Train são todos boas pessoas, e sempre terei gratidão e carinho por eles. Estou muito agradecida à Smile Train e aos seus doadores por ajudar ao David e tornar o tratamento dele possível. Há tantas outras crianças que precisam de ajuda e espero que eles continuem com o trabalho.

Receba as Novidades da Smile Train

Veja também...

Patient

No final de sua jornada de trabalho de 12 a 14 horas na fábrica de automóveis em...

Newsroom

Para Andrea Meza, trabalhar com a Smile Train não é apenas um privilégio de sua posição...

Patient

"Não se preocupe. Os médicos estão prontos para atendê-lo." Embora Noelia não soubesse...